Mini-Habitos

Autor do Livro:
Stephen Guide
O poder do hábito.png
Gênero(s):
Autoajuda

Fazer uma única flexão. Escrever um único texto. Ler duas páginas de um livro. Comer agora um pouco mais de salada. Meditar por cinco minutos. O que há de comum em todas estas ações – note bem: ações e não intenções – é que são ações praticáveis, fáceis, realizáveis aqui e agora e que não provocam resistência, ou, se provocam, não se trata de uma resistência significativa.

Guise dá um outro exemplo muito interessante. Faça o seguinte: coloque a sua mão agora no nariz. Faça isso. Não precisa pensar. Só coloque a mão no nariz e pronto.

Fez?

Colocar a mão no nariz é um ato simples. Não precisamos pensar muito. Não é grandioso. É até banal. A ideia de um mini-hábito é justamente essa. Uma pessoa que está resistindo de ir à academia e ficar uma hora, uma hora e meia, treinando imagina que tudo aquilo será desgastante, estressante, chato ou até muito complicado ou sem atrativos.

Agora, uma única flexão? Um único abdominal?

Bem, assim como colocar a mão no nariz, estes atos, estes comportamentos são simples. Fáceis. Banais. Podemos fazer e podemos fazer agora.

A ideia é que ao fazer uma única flexão poderemos fazer mais uma. Talvez mais uma ainda. Talvez mais sete ou dez. E ao fazer, estaremos deixando de lado os pensamentos grandiosos, os grandes planos e estaremos entrando na prática.